Itens compartilhados de Juliano

sábado, 19 de julho de 2008

McDonald's

Não fui pago pra escrever isso, nem estou fazendo propaganda.

O negócio é que acabei de voltar do McDonald's. E antes que me atirem pedras, já vou logo avisando que comer comida coreana todo dia chega a um ponto que cansa, então temos que variar. Além disso, já tinha bem mais de 3 meses desde minha última ida lá, então resolvi ir hoje.

Na verdade, o que eu quero falar é: "por que o McDonald's do Brasil é tão absurdamente caro e com um serviço tão vagabundo?" Isso é um mistério que me persegue desde a época em que morei no Japão. Para uma rede internacional, o serviço supostamente é padronizado; no entanto, por que cargas d'água então é que no Brasil eles são tão vagabundos? Será o pessoal que trabalha lá é que não segue as normas?

Bem, vamos pôr isso em pratos limpos.

Em primeiríssimo lugar vem o preço. Não sei quanto está custando no Brasil, mas quando saí daí estava beirando os "déiz real". Agora, levando em conta a nossa arraigada cultura inflacionária, suponho que já deva estar entre 12 e 15 "conto". Aqui, à noite, custam ₩5600, uma vez que dei uma nota de ₩10000 e ela me voltou uma outra de ₩5000 com 4 moedinhas de ₩100. (Minhas contas estão certas?) Já, na hora do almoço, o mesmo "Big Mac Set", o número 1 do Brasil, custa módicos ₩3000. Transformando isso em reais no câmbio do dia, dá R$ 7,20 na janta, e R$ 4,70 no almoço.
Se fosse só isso, já seria uma diferença boa. Mas tem mais.

Refrigerante: toma-se à vontade. Não no estilo americano de botar a máquina de servir pra fora, mas no estilo coreano de voltar ao balcão e pedir: "enche pra mim de novo?" Sem pestanejar, o copo já está pronto pra mais uma, duas, três... até o freguês morrer intoxicado. O negócio é que a maioria acaba ficando no primeiro copo mesmo. Coreano quase não toma refri. Mas que pode pode.

Outra coisa que me deixa puto no Brasil é a batatinha. É um milagre quando elas são servidas quentes, normalmente chegam mornas (quase frias) e terrivelmente murchas; também considero um milagre se são servidas na quantidade certa, já que os atendentes são treinados a usar aquela pá esquisita jogar as batatas sem nenhum carinho dentro do reipiente a elas destinado e sacudir o mesmo para tirar o excesso que acaba jogando metade das batatas de volta àquele receptáculo iluminado que guarda as batatas à espera de uma boca para comê-las.

Aqui, não sei como conseguem, mas as batatas estão sempre quentinhas e crocantes por fora, exatamente como devem ser. Além do que, a quantidade aqui é o contrário do Brasil: eles ficam sacudindo o negocinho pra ver se dá pra mais algumas batatinhas entrarem.

Só isso pra mim já estaria bom... mas ainda tem mais!

O sanduíche, o centro das atenções, no Brasil, chega dentro daquela caixinha que quando é aberta mostra uma aberração, um arremedo de Big Mac... O pão prum lado, o hambúrguer pro outro, o molho e a alface esparramados e grudados em todas as paredes da caixinha... Terrível...

Aqui, o sanduíche vem embrulhado em um papel, que já serve de guardanapo, no estilo hambúrguer/cheeseburguer do Brasil, mas com o sutil detalhe de um aro de papelão que ajuda a manter a forma do sanduíche em dia, mesmo depois de uma viagem de metrô/ônibus por aqui com todo o empurra-empurra digno dos coreanos. (Nada a ver com isso, mas acabei de matar um pernilongo e as palmas das minhas mãos estão ardendo...) O aro realmente evita o desmoronamento do sanduíche e a manutenção de seus ingredientes nos devidos lugares... É ou não é outro mundo?

(Ah, e não é só aqui. No Japão é igual.) Isso sim mostra a atenção pelos pequenos detalhes e mostra ao cliente o quão importante ele é para o comerciante. No Brasil, ao contrário, não sei se pelo fato de brasileiro comer até McCocô (se eles resolverem lançar) e se achar o máximo, parece que os clientes não estão fazendo mais do que sua obrigação de comer essas abominações do ramo brasileiro das lojas da rede internacional de restaurantes (?) McDonald's.

Se alguém do McDonald's algum dia ler isso aqui, por favor, tome providência e dê um jeito... pelo menos nas batatinhas... Odeio batata murcha...

Pra quem leu até aqui, um abraço e até a próxima.

Fui.

2 comentários:

sefora disse...

li isso e na msma semana fomos no mc donald na paricida du norte puts! lembrei do seu post na hora.
comprei um cheddar mc melt que foi o proprio McCocô . alem de estar desmoronando tudo , concentraram todo o cheddar num lugar só e metade grudou na caixa.resumindo tava uma bsta!fora o pessimo atendimento.brasileiro nao tem a minima dignidade mesmo ...

Séfora disse...

http://comacomosolhos.blogspot.com/2008/10/mcdonalds-como-se-faz-um-big-mac.html

Pesquisar em blogues de brasileiros na Coreia

Resultado da pesquisa