Itens compartilhados de Juliano

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Muita agua ja passou por debaixo da ponte

Fui a Jeju-do e os muçulmanos fizeram muitos planos mas acabaram decidindo não seqüestrar o avião. :) hehe A viagem foi muito boa, mesmo tendo apenas 3 dias e 2 noites. Por falar em noite, ficamos em um hotel 4 "flores" (em Jeju não se usam estrelas). Hotel muito bomcom duas pessoas por quarto, um pouco longe do centro mas tudo bem. Tínhamos dois ônibus (um de meninos e um de meninas) e visitamos as principais atrações da ilha de norte a sul e de leste a oeste. Como tudo na Coréia, foi meio ppalli-ppalli (rápido) mas tudo bem. Aproveitamos as noites para sair paa barzinhos (chamados HOF) e para norebangs (karaokês). Muito bom.
Voltando a Seul, voltamos também às aulas, mas por pouco tempo. Tivemos aula até a última sexta de julho. Já que as aulas de mestrado começam em setembro, o NIIED resolveu nos dar um mês de férias. Por isso terminanos o curso na metade do livro. Fiquei com um pouco de dó por não chegar ao fim, mas as férias chegaram mais do que na hora. Aproveitei para descansar tudo o que podia e acabei trocando a noite pelo dia. Principalmente depois que comprei um novo computador. O velho já não estava dando mais. Principalmente com a internet ppalli-ppalli (vide acima) que eles têm por aqui que chega a dar uns 2MB/seg. Não há disco que chegue. Além disso, como o computador era meio lento, não dava conta do recado nem mesmo com a internet. Reclamava daqui, reclamava dali, acabei conversando com o Arif (um cara de Bangladesh que já está aqui há 8 anos) e ele me disse que tinha uma placa mãe de Pentium IV que ele não usava mais e que só faltava a memória RAM. Resolvi pegar e fazer o upgrade eu mesmo, mas fui tentar comprar a bendita memória e como era DDR, era mais difícil de achar e mais cara que a DDR2. Acabei indo e vindo 3 vezes na Santa Ifigênia daqui (que, diga-se de passagem, dá de mil a zero na de São Paulo, mas é ainda menor um pouco que Akihabara de Tóquio). No final das contas, consegui achar a abençoada memória e fui montar o computador. Foi aí que vi que precisava de uma nova fonte também de maior potência. Bem, chegou então a um ponto em que eu teria que acabar comprando um monte de coisas novas mais e, por fim, optei por comprar um PC novo de vez. Fui na loja onde havia comprado a RAM e pedi para eles montarem um PC novo dando a RAM como parte do pagamento. Eles aceitaram. Acabei ficando com um Intel Core 2 Duo de 1.6 GHz e 1 GB de RAM + HD de 250 GB. O monitor e os drives de CD, DVD/RAM e floppy eu já tinha dos outros 2 computadores que havia ganhado. Comprei também um teclado novo e um par de caixinhas de som. Tudo acabou ficando por W 295.000. Acho que tá bom. Considerando o monitor LCD widescreen de 17" com sintonizador de TV por W 180.000 e o DVD/RAM por W 40.000, o micro todo saiu por W 515.000. Graças a isso, acabei gastando minhas parcas economias e fiquei as férias em casa mesmo, no calor infernal de agosto, que é o mês dos três "bok" (삼복 三伏), os três períodos mais quentes do ano, quando é de praxe comer comidas quentes para combater "fogo com fogo", chamado de Iyeolchiyeol (이열치열 以熱治熱 = calor parecido cura calor). É nessa época que, reza a tradição, deve-se comer boshintang (보신탕 補身湯), ou melhor, sopa de cachorro. Como eu não podia ficar fora dessa, fui experimentar. Não é nada demais. Se ninguém falar nada, passa por sopa de carnes variadas (meio porco, meio vaca e meio algo que não sei direito, talvez carneiro ou cabrito?). Para mim não foi tão bom porque normalmente não gosto de carne com muita gordura e a maior parte dos nacos tinha bastante. Mas como experiência, valeu a pena. Antes que comecem a falar, carne de cachorro é um tema complicado por aqui também. Principalmente os jovens se recusam terminantemente a comê-la, claro que com excessões). É também mais comum no interior que nas metrópoles. É mais comum com os mais velhos e também com os turistas! Homens também têm uma tendência maior de comer também porque se diz que é uma carne afrodisíaca. No meu caso, comi com a tia da Eun Bee (esta ficou só olhando enquanto a tia se esbaldava e eu apreciava a experiência). O pior de tudo foi achar um restaurante. Acabei apelando para o Lonely Planet que tinha apenas um endereço em toda Seul. De acordo com a tia, não foi dos melhores, mas tampouco estava ruim: veredito final mediano. Disse ela que quando for a Busan, ela vai me levar a um lugar bem melhor. Vamos ver.
Neste momento, estou na Universidade Nacional de Seul esperando a orientação dos estudantes estrangeiros que começará às duas. Cheguei aqui por volta das dez, pois uma vizinha de Taiwan que acabou de chegar aqui na Coréia e ainda não conhece bem a cidade também tinha que vir, mas no caso dela às 10:30 porque ela foi na sessão em chinês. Para mim foi bom pois acabei tendo que sair da toca na parte da manhã, coisa que não fazia havia quase um mês. Isso me faz sentir mais produtivo e ativo. Além do que espero reajustar meu relógio biológico antes que as aulas comecem. Não agüento mais dormir às 5 da manhã e não fazer quase nada durante o dia. Espero que consiga.
Quanto ao tempo, hoje está maravilhoso! O outono já está dando os ares de sua graça. O céu está nublado e um doce ventinho está soprando, refrescando o inferno que estava por aqui. Os dias têm sido bem quentes, por volta dos 30 a 35°C até mesmo à noite. E úmidos! Sempre acima dos 90%. Isso faz-me sentir completamente inutilizado, já que apenas o fato de trocar de roupa, ou qualquer outro tipo de exercício físico banal, já é o bastante para fazer o suor correr às bicas. É realmente absurdo. Para completar, ainda tem o dormitório onde moro que não possui ar condicionado. 24 horas por dia a temperatura do meu quarto se mantém por volta dos 30°C! Durma-se com um calor desses! Ainda bem que é só durante o verão, os outros nove meses restantes do ano são maravilhosamente refrescantes. Tudo bem que esses comentários não deveriam vir de um brasileiro, mas para quem não gosta de futebol, não consegue dançar, gostar de tempo frio não é tão estranho assim, não é?
Bom vou parando por aqui hoje (já são seis páginas do meu caderninho e minha mão está doendo). Não sei quando volto a escrever, mas espero que seja em breve. Quanto a vocês, espero também que escrevam algo para mim de vez em quando. Podem enviar pelos comentários mesmo, ou por e-mail. A todos os meus amigos e parentes, um enorme abraço e muito saudade.

29/08/2007

Um comentário:

ADS disse...

Olá meu grande amigo...brasileiro, portuga, itariano, coreano...
estou no chile terminando a tese de mestrado e pensando em viajar para a Nicarágua (pois é, bizarro né?) ou Franca. Espero te ver em breve em algum lugar desse planete. Saudades. Adriano.

Pesquisar em blogues de brasileiros na Coreia

Resultado da pesquisa